Segunda - sexta 08h às 12h e 13h às 16h e aos Sábados 7h às 12h | 11 94818-6639

TRÍPLICE BACTERIANA ACELULAR (DTPa)

O que previne?

  • Difteria, tétano e coqueluche.

 

O que é difteria?

  • O surgimento de placas esbranquiçadas nas amígdalas ou laringe, febre e calafrios podem ser sintomas da difteria.
  • Essa doença, prevenível por vacina, é também conhecida como “crupe”.
  • Ela é causada pela bactéria Corynebacterium diphtheriae, que vive na boca, garganta e nariz da pessoa infectada e produz uma toxina que pode gerar graves complicações, como a insuficiência cardíaca e a paralisia.

 

Transmissão

  • A difteria é transmitida por via respiratória, em gotículas de secreção eliminadas durante a tosse, o espirro ou a fala, mesmo quando o portador da bactéria não apresenta sintomas, processo que pode durar mais de seis meses.
  • Pessoas não vacinadas, de qualquer idade, raça ou sexo, podem contrair a doença, ainda que já tenham se infectado anteriormente. Por essa razão é importante se vacinar a cada dez anos.

 

O que é tétano?

  • Doença grave causada pela infecção da bactéria Clostridium tetani, que entra no corpo através de feridas e produz uma toxina que age no sistema nervoso central, provocando fortes contrações musculares que podem matar.

 

Transmissão

  • O tétano não é transmissível de uma pessoa para a outra.
  • A doença é adquirida de duas formas: Tétano acidental: decorre da contaminação de ferimentos externos, geralmente perfurações, contaminados com terra, poeira, fezes de animais ou humanas. Tétano neonatal: adquirido pelo bebê seja na hora do corte do cordão umbilical, devido ao uso de instrumentos contaminados, ou durante o tratamento do coto do umbigo, pela aplicação de substâncias infectadas.

 

O que é coqueluche?

  • A coqueluche ou pertussis é uma infecção bacteriana que afeta os pulmões.
  • Ela é conhecida como tosse convulsa ou tosse comprida, pois seu sintoma mais claro é uma tosse persistente que deixa a pessoa cansada e é, frequentemente, acompanhada por vômitos.
  • A coqueluche, doença prevenível por vacina, pode causar ainda pneumonia, convulsões, comprometimento do sistema nervoso e morte.
  • Quanto mais novo é o bebê, mais grave é a doença, que muitas vezes exige internação em Unidade de Tratamento Intensivo.
  • Em adultos, pode parecer um resfriado, sem muitos sintomas.

 

Transmissão

  • A coqueluche é causada pela bactéria Bordetella pertussis, é transmitida de uma pessoa para a outra por gotículas de saliva ao falar, tossir ou espirrar.
  • A maior parte das ocorrências e todos os casos fatais são em crianças com menos de 1 ano (principalmente nos primeiros 6 meses de vida), ainda não vacinadas ou que não receberam pelo menos três doses da vacina. 

 

Faixa Etária

  • Para reforço em crianças a partir de 3 anos de idade, adolescentes e adultos.
  • Gestantes.
  • Pessoas que convivem com crianças menores de 2 anos, sobretudo com bebês com menos de 1 ano, incluindo familiares, babás, cuidadores e profissionais da Saúde.

 

Pedido Médico

  • Não necessita.

 

Esquema Vacinal

  • Pode ser usada para a dose de reforço prevista para os 4-5 anos de idade, na adolescência e em adultos e idosos.
  • As gestantes devem receber uma dose de dTpa, a cada gestação, a partir da 20ª semana de gestação. Se não vacinadas durante a gravidez, devem receber uma dose após o parto, o mais precocemente possível (de preferência ainda na maternidade).
  • Para crianças com mais de 3 anos, adolescentes e adultos não vacinados, com histórico vacinal desconhecido ou esquema básico contra o tétano incompleto: uma dose de dTpa a qualquer momento, seguida de uma ou duas outras doses da dT (dependendo de quantas faltam para completar o esquema de três doses contra o tétano).
  • A vacina dTpa pode substituir a vacina dT.

 

Via de Aplicação

  • Intramuscular.

 

Efeitos e Eventos Adversos

  • Irritabilidade, sonolência, reações no local da aplicação (dor, vermelhidão e inchaço) e fadiga, falta de apetite, dor de cabeça, diarreia, vômito e febre. 

 

Interação Entre Vacinas

  • Pode ser administrada com outras vacinas vivas ou inativadas.

 

Orientações

  • Compressas frias (temperatura ambiente) aliviam a reação no local da aplicação. Nunca realizar compressas quentes ou geladas.
  • Em casos mais intensos pode ser usada medicação para dor, sob prescrição médica.
  • Sintomas de eventos adversos persistentes, que se prolongam por mais de 72 horas (dependendo do sintoma), devem ser investigados para verificação de outras causas.

 

Contra indicação

  • Pessoas que apresentaram anafilaxia ou sintomas neurológicos causados por algum componente da vacina ou após a administração de dose anterior.
  • Em caso de doença aguda com febre, a vacinação deve ser adiada até que ocorra a melhora.
Entre em contato
© 2022 - Biológico Vacinas desenvolvido por ConnectAll